mecânica geral faz a manutenção dos motores e dos outros componentes mecânicos e pode atuar em todas as outras peças de um veículo.

O diagnóstico de um problema deve ser feito com rapidez e precisão. São utilisados tanto os meios físicos como os eletrónicos como forma de recolha de dados para o seu diagnóstico.
O trabalho dos mecânicos envolve tanto a reparação de componentes específicos de um automóvel, como a substituição dos mesmos.

A correia dentada é responsável por manter a sincronia entre o virabrequim que transfere a força do motor às rodas e o comando de válvulas, responsável pela entrada e saída de gases no cilindro. Quando a correia se parte, esta sincronia é quebrada e o pistão comandado pelo virabrequim atinge a válvula, que geralmente está aberta e com sua cabeça dentro do cilindro. Todos os fabricantes recomendam a quilometragem ideal para a troca no manual do proprietário, que na maioria dos veículos a troca ocorre geralmente de 40.000 a 60.000Km.
Além da correia dentada também é necessário trocar o seu esticador que é composto de um rolamento que pode apresentar folgas ou mesmo travar provocando o rompimento da correia. Muitos mecânicos trocam somente a correia deixando o esticador velho que estando deformado ou com folga pode danificar a correia nova reduzindo sua vida útil. Em muitos modelos, a correia dentada também aciona a bomba d’água, mais um item para acelerar o seu desgaste.

Diagnóstico: Fique atento aos ruídos provenientes do motor do carro. Em marcha lenta (ponto morto, sem acelerar), a correia costuma emitir um ruído intermitente e agudo. Esse é o melhor sinal de que a hora da troca já passou.